Sinopse do Campeonato Brasileiro de Overclocking 2013

774191_410416742372612_263784271_o

Campeonato Brasileiro de Overclocking 2013 – a história da final

Tivemos neste último sábado, 19 de janeiro, a final do Campeonato Brasileiro de Overclocking 2013. Nele, os melhores overclockers do Brasil (os quais tiveram o direito a suas vagas após terem vencido as classificatórias online, que aconteceram no mês de novembro e dezembro do ano passado), disputaram o título de Campeão Brasileiro de Overclocking 2013 e também prêmios, entre eles o valor de R$5000.
Os finalistas foram estes:
Alex – Darkvenom
Mario – Mariovmn
Jacson – Jacsonschenckel
Raul – RaulSDT
Emerson – Guerreiro215
Paulo – Paulo11
Mathews – Mathews
Fernando – Baruk
Alexandre – Nuccini
Cleiton – Cleitonschenckel

 






























Infelizmente, após alguns imprevistos, só puderam comparecer 7 dos 10 finalistas (Mathews avisou com antecedência que não poderia participar; Baruk contraiu uma infecção que o impossibilitou de viajar e Nuccini teve que acompanhar um falecimento em sua família), o que não tirou nem um pouco, o brilho da competição.
Pela primeira vez em toda a história do overclocking, uma competição desenhada desta forma, ou seja, um campeonato entusiasta (com sistema de refrigeração normal), onde os melhores ganhariam o direito de participar na final, onde o sistema de refrigeração era livre para a utilização de Nitrogênio Líquido.
Tenho já há muito tempo participado de competições nacionais e internacionais, e acredito não ter visto nada igual em termos de disputa.
Até o último segundo, tanto na categoria entusiasta quanto na extrema, não era possível de determinar os ganhadores, tão acirrada acontecia a disputa.
Procurarei descrever adiante o meu ponto de vista sobre o acontecimento.
Após sorteadas as máquinas, cada qual diante do seu computador, começaram a valer os resultados.
Os testes que deveriam ser corridos eram o 3Dmark11, 3Dmark05 e SuperPi 1M.
Acontece que, por alguma incompatibilidade da placa mãe, em relação ao Sistema Operacional ideal, todos os testes tiveram que ser executados no Windows 7, o que implicava que todos os tweaks (truques) estudados para a final, fossem colocados de lado, e que somente a performance pura (em relação à frequência) e estabilidade estariam à prova.
Dada a partida, o campeonato logo foi tomando seu rumo, e seus competidores aos poucos foram “recheando” as tabelas.
Uma participação impecável do competidor Cleiton, o levou à vitória, seguido por Jacson e logo na sequência o Paulo, que é o mais novo competidor e um grande talento surgindo na atividade.
A surpresa maior era que o campeão do ano passado, Emerson, estava com muita dificuldade e seus resultados estavam muito aquém do esperado, para um dos favoritos ao título.
Aliás, não tenho nenhuma vergonha de dizer, que em minha opinião, os favoritos eram o Jacson e o Emerson, pois representam os dois melhores classificados na Liga Mundial e também os campeões de 2012.
Após entregues todos os resultados, acreditem, cheguei a fazer um discurso, onde expliquei que todos que haviam competido tinham condições de ser campeões, mas que a sorte havia sorrido muito mais para uns, do que para outros (assim como sempre e em tudo na vida).
Cheguei a comentar que o favorito Emerson, por ter tido um desempenho baixo em relação às suas capacidades, deveria estar fora da competição, mas que isto não lhe tirava o merecimento de estar lá.
Assim como os colegas Raul, que de cara se deparou com um processador de IMC muito ruim (o que significa uma baixa qualidade, em relação à sua performance para com as memórias), Alex, que é um grande talento mas que pegou o pior processador da competição (e não sei se do mundo) , e o Mario, agora já bastante experiente, mas que também havia dado pouca sorte, principalmente tendo pego uma placa de vídeo com pouca elasticidade em relação aos demais.
Mas nada era como o que parecia. Todos estavam acreditando que o Mario seria um dos finalistas, mas devido à configuração dos resultados, o Emerson foi classificado para a final, por ter superado “por um triz” o outro concorrente.
Estavam definidos os finalistas:

#1 Cleiton
#2 Jacson
#3 Paulo
#4 Emerson
Para dar maios dinâmica e alegria ao evento, fizemos de surpresa um novo anúncio. Desta vez, cada um dos ganhadores da primeira fase, escolheria um dos que haviam ficado fora, para ser a sua dupla.
Obviamente o crédito maior seria dado ao “Capitão”, ou seja, o ganhador do direito a competir, mas desta forma, todos os outros poderiam prosseguir, mesmo que somente por diversão, na atividade que tanto gostam.
A fase final foi simplesmente incrível.
Logo nos primeiros minutos, percebia-se claramente que 3 dos quatro processadores tinham um comportamento muito similar. Chegavam à frequências semelhantes, IMCs semelhantes, e muito mais importante, nenhum deles tinha um “fenômeno” que ocorre em temperaturas muito baixas, que se chama “cold bug”. Isto faz com que o processador não permita trabalhar tão frio, e consequentemente ter que utilizar voltagens e parâmetros menos agressivos (digo, fortes).
Desta vez, a má sorte veio diretamente para o Cleiton.
Mesmo tendo uma dificuldade extrema de controlar o seu sistema, enquanto os outros podiam trabalhar em condições muito superiores, ele foi escalando os resultados e o rendimento obtido em seus testes, foi seguramente o mais alto.
Não menos problemático se tornou o sistema do Jacson, que após ter enviado um resultado excelente, deve ter provocado algum tipo de colapso que impossibilitou melhoras em seus scores.
Já o Emerson e o Paulo, ficaram a disputar passo a passo o título de Campeão Brasileiro, até que há poucos minutos do final, o Cleiton enviou uma excelente marca 3D (o mais forte de todos os resultados da competição), e abriu as portas às suas chances de, pelo menos, obter o título e o prêmio de “vice-campeão”.
Mesmo após terminada a competição, somente soubemos a ordem dos campeões após calculados todos os resultados em seus respectivos pesos, tão pouca era a diferença entre os competidores.
#1 – Emerson – Campeão Brasileiro de 2013 (bi campeão, pois foi o ganhador em 2012)
#2 – Paulo – Vice Campeão Brasileiro de 2013
#3 – Cleiton
#4 – Jacson

Conclusão:
Para concluir o tópico, achei melhor falar sobre cada competidor na competição, e nisto, descrever meu ponto de vista.
Emerson (Guerreiro215)
Como o próprio nick diz, é um guerreiro. Ao meu ver, não foi o melhor na competição, mas certamente o que usou melhor estratégia. Ameaçado de uma desclassificação na primeira fase, persistiu até o fim, melhorando pouco a pouco até conseguir o suficiente para a fase final.
Na fase final, favorecido de um bom processador, soube incrementar seus resultados pouco a pouco e ganhar duas das 3 etapas (ganhou as duas etapas de menor peso e apesar de ter ficado em último na outra, já havia adquirido o suficiente para ser o campeão.

Paulo (Paulo11)
Difícil ter conhecido alguém com tamanha paixão pela arte. Teve absoluta constância, e administrou seus resultados com bastante perfeição, subindo-os pouco a pouco e conquistando o título de vice campeão.
Não podemos esquecer que é uma grande surpresa, pois apesar de ter ingressado neste mundo há pouco tempo, seu talento fez com que absorvesse conhecimentos suficientes para este excelente final.

Cleiton
Sem mais palavras, ao meu ver, era o merecedor do título de Campeão Brasileiro. Ganhou a primeira fase com bastante mérito e horas antes do final, já podia estar considerado na final. Pegou na segunda fase o pior dos sistemas e mesmo sob estas condições, enviou o resultado mais valioso de toda a competição.
De certa forma fico sentido de não poder ter lhe dado o prêmio, mas a honra ao mérito de ter sido, ao meu ver, o campeão moral. (Algo como um time de futebol que joga muito melhor, mas por falta de sorte acaba perdendo).

Jacson
O mais técnico de todos os overclockers do Brasil, sem nenhuma dúvida, não estava no seu dia. Na primeira fase soube controlar os resultados e classificou-se sem problemas, mas talvez não tenha tido a melhor estratégia na segunda.
Não lhe tira o mérito de ser um grande overclocker e um favorito. Acredito que, em uma nova competição, mudará alguns parâmetros e ordens que tenha executado e com certeza será novamente um dos favoritos

Mario
Após várias participações no Extremo e já em sua terceira competição presencial, mostrou bastante competência e também que é um “batalhador”.
Não foi premiado com uma boa placa de vídeo na primeira fase, nem bem com um processador de alta qualidade, o que implicou em sua desclassificação. Mesmo assim, até o fim, assim como todos, creditava-se que seria um dos finalistas.

Alex

O Alex é sem dúvida alguma um dos melhores overclockers do Brasil. Conquistou o direito à final com muito merecimento e poderia sem dúvida alguma ter sido o grande campeão.
Teve muita falta de sorte em pegar um processador “terrível”. A situação de seu equipamento era tal, que eu mesmo verifiquei e pude atestar que com este, qualquer que fosse o overclocker e sua capacidade, este não chegaria às finais.

Raul

Um dos competidores mais novos do Brasil (e por que não, do mundo), com extremo talento e excelente caráter.
Foi o representante da equipe Criminal Café, na qual é o lider. A equipe se destacou em 2012 por ter sido uma das equipes de maior participação no mundo. Teve, assim como o Alex, uma “tremenda” falta de sorte por pegar um processador com uma controladora de memória muito ruim, o que culminou na impossibilidade de bons resultados.
Da mesma forma que todos, têm competência para ser campeão nesta ou em qualquer outra competição deste nível.

Só posso agradecer a esses campeões e esperar que tudo dê certo para que em breve, tenhamos mais eventos como este.

 

Comente com a gente:

http://www.hardwarebr.com/forum/showthread.php?6384-Campeonato-Brasileiro-de-Overclocking-2013-fotos-e-acontecimentos

Agradecimentos especiais:
X5 Computadores: os melhores computadores do Brasil
Corsair Brasil: componentes de altíssima qualidade para gamers, overclockers e entusiastas
Local X Distribuidora: a distribuidora dos gamers e overclockers
3Dteam X5: o melhor time de overclocking Latino Americano
A todos os leitores que acompanham o overclocking no Brasil.